Domingo, 11 de Novembro de 2007

|1| instauração do blogue...

Desde o verão de 1826 aos dias de hoje muito mudou no mundo da fotografia. A evolução de equipamentos e de técnicas materializou-se, e rematerializou-se, um número quase incontável de vezes, numa sequência evolutiva que dura até aos dias de hoje, e que continuará. O presente da fotografia, sucedendo a um passado recente, é já um período em que o acesso aos elementos fotográficos está totalmente democratizado, ou seja, fazer fotografia está efectivamente ao alcance de qualquer um, sejam as suas intenções profissionais ou totalmente amadoras. Contudo, não são todos os que, com sublime sensibilidade, conseguem extrair de um dado instante o mais profundo dos seus significados, aquilo a que chamo, uma pequena porção de existência, é desta forma que pessoas especiais possibilitam a fusão da fotografia com arte, a arte torna-se assim fotografia. Este blogue pretende realçar isso mesmo, a fotografia como arte.

A fotografia possui o dom de materializar o efémero. É mesmo a única forma de o fazer com rigor. As virtudes da fotografia são imensas, mas a mais simples, e certamente a mais importante, é a magia que nos proporciona quando nos permite tornar o efémero em eterno, nunca desaparecendo o encantamento que só a efemeridade possibilita. Podemos assim voltar a um momento passado sempre que desejar-mos, ele vai estar sempre ali, corporalizado.

Sem mais, “paralelismos” pretende ser um blogue de fotografia, sobre fotografia e com fotografia, sendo também, por consequência, um blogue sobre o passado e sobre coisas passadas. Não poderia deixar de sê-lo. Aqui serão publicadas fotografias. Alguns textos. Opiniões.

Para este primeiro poste escolhi aquela que é unanimemente considerada como a primeira fotografia permanente do mundo, feita por Nicéphore Niépce. É sempre seguro começar pelos antípodas...

Obrigado pela primeira visita, volta sempre!

 

View from the Window at Le Gras, Joseph Nicéphore Niépce

Vista a partir da janela em Le Gras, Joseph Nicéphore Niépce (fonte: pt.wikipedia.org)

 

publicado por carlos palmeiro às 16:00
| comentar
1 comentário:
De Sofia a 28 de Fevereiro de 2008 às 22:34
Excelente começo!

Comentar post3

arquivo

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

postes recentes

|52| linhares da beira

|51| serra da estrela

|50| O céu sob os nossos ...

|49| linhares da beira, a...

|48| castelo, linhares da...

|47| stop

|46| pipe

|45| rampa colorida

|44| perspectiva

|43| betão

|42| a gravidade vence se...

|41| uma flor... sei lá o...

|40| o remate e o fim...

|39| erosão...

|38| espuma...

|37| à beira do rio...

|36| à beira...

|35| rosto conhecido... p...

|34| pôr-do-sol mais comp...

|33| mar de prata...

|32| gaivotas

|31| o mesmo pombo...

|30| mais um pôr-do-sol.....

|29| de manhã, na praia.....

|28| regresso ao fim da t...

|27| céu... nuvens... par...

|26| céu... nuvens...

|25| parece de papel

|24| um pormenor, tate mo...

|23| 1 hora de reflexos

|22| espuma de mar

|21| paris... torre, rua ...

|20| tejo e almorol

|19| pato

|18| "turbulência marítim...

|17| lagarto ao melhor es...

|16| pessoas em barcelona

|15| para os lados do oci...

|14| fases... junto ao ma...

|13| só de passagem... pr...

tags

todas as tags

RSS