Quinta-feira, 15 de Novembro de 2007

|7| a efemeridade do fogo e as nossas necessidades

O fogo, tão destrutivo, com o qual é impossível estabelecer uma relação intrínseca, consegue mesmo assim ser muito belo. De facto afeiçoamo-nos a ele com simplicidade, numa, mais uma, relação de amor e de ódio muito humana, o período que vivemos é disso prova… os momentos que se seguem são irrepetíveis, de equilíbrio…

 

  

  

  

 

publicado por carlos palmeiro às 08:52
| comentar
9 comentários:
De p.maria a 15 de Novembro de 2007 às 14:24
e um fogo que arde e se consegue ver...
De carlos palmeiro a 15 de Novembro de 2007 às 15:45
... olá... este vê-se eheheh... :)
De Cristina a 15 de Novembro de 2007 às 15:27
Apresentas fotos muito ricas! Parabéns pelo blog!
De carlos palmeiro a 15 de Novembro de 2007 às 15:47
... olá, boa tarde... obrigado...
De Aspirante a Arquitecta a 16 de Novembro de 2007 às 03:49
Equilíbrio? Tem a certeza dessas palavras?
De carlos palmeiro a 16 de Novembro de 2007 às 09:09
… olá, bom dia… quando afirmo que são momentos de equilíbrio, refiro-me já às imagens, e não ao momento para que as próprias imagens remetem – o fogo em actividade, esse sim a antítese do equilíbrio –, parece-me que agora não passam, quanto a mim, de momentos “suspensos” que encontraram equilíbrio enquanto imagem, unicamente nessa condição. Quando escrevi a introdução pensei em referir-me às imagens de outra forma, menos abstracta linguisticamente, se calhar teria sido mais aceitável…? Questionas-te a minha consideração, gostaria, sem ser pretensioso, que fizesses a tua… gostaria de conhecê-la. Reparei no teu recente blogue (recente como o meu) que estás ligada ao mundo da arquitectura, ou aspiras aceder a esse mundo, mundo por onde já passei, passo e passarei, sou um arquitecto frustradíssimo :), que anda agora pelo mundo do turismo… mesmo assim tenho o prazer de fazer muito coisa em arquitectura (mesmo que de forma desqualificada, embora ache que arquitectura, como a fotografia, devem libertar-se de regras e cânones, até de técnicas…) … obrigado… Carlos…
De Remus a 18 de Novembro de 2007 às 18:32
Esta sequência de fotografias do fogo é simplesmente fascinante. As cores, o nível de detalhe é fenomenal.
Adorei!
Parabéns.
De carlos palmeiro a 18 de Novembro de 2007 às 22:44
... olá mais uma vez, volto a agradecer o comentário... feito por alguém que também faz muito boa fotografia é realmente agradável... obrigado... carlos
De ordem detectives privados a 29 de Novembro de 2011 às 01:54
boa noite + thx!! gostei re-ler essa entrada está rico. considero me visitante frequente do blogue abraços

Comentar post3

arquivo

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

postes recentes

|52| linhares da beira

|51| serra da estrela

|50| O céu sob os nossos ...

|49| linhares da beira, a...

|48| castelo, linhares da...

|47| stop

|46| pipe

|45| rampa colorida

|44| perspectiva

|43| betão

|42| a gravidade vence se...

|41| uma flor... sei lá o...

|40| o remate e o fim...

|39| erosão...

|38| espuma...

|37| à beira do rio...

|36| à beira...

|35| rosto conhecido... p...

|34| pôr-do-sol mais comp...

|33| mar de prata...

|32| gaivotas

|31| o mesmo pombo...

|30| mais um pôr-do-sol.....

|29| de manhã, na praia.....

|28| regresso ao fim da t...

|27| céu... nuvens... par...

|26| céu... nuvens...

|25| parece de papel

|24| um pormenor, tate mo...

|23| 1 hora de reflexos

|22| espuma de mar

|21| paris... torre, rua ...

|20| tejo e almorol

|19| pato

|18| "turbulência marítim...

|17| lagarto ao melhor es...

|16| pessoas em barcelona

|15| para os lados do oci...

|14| fases... junto ao ma...

|13| só de passagem... pr...

tags

todas as tags

RSS